Cachorro pressionando a cabeça na parede

Cachorro pressionando a cabeça na parede

Pressionar a cabeça contra a parede é um sinal de que algo não está bem com o cachorro. Vá ao veterinário IMEDIATAMENTE! Todos precisam saber disso, então por favor, leia o artigo e COMPARTILHE.

Quando um dono de cachorro ou gato vê esse comportamento, pode banalizar. Em um primeiro momento, sem conhecimento do significado desse comportamento, o dono pode achar que o cachorro está apenas brincando. Isso normalmente não é o caso, por isso é tão crítico reconhecer esse comportamento. Ok, mas o que esse comportamento significa? A resposta não é tão simples, mas pode indicar algumas doenças como:

– Tumores no crânio ou cérebro do animal;
– Toxinas entrando no sistema
– Doença metabólica
– Traumatismo craniano
– Enfarte
– Doença do Prosencéfalo (no cérebro)

cachorro pressionando a cabeça na parede

Todas as doenças acima são muito graves e podem ser fatais, por isso o animal precisa ser levado ao veterinário com a máxima urgência. A maioria desses problemas afetam o sistema neurológico do cachorro. Dito isso, ao mesmo tempo em que pressionar a cabeça pode parecer o sintoma mais óbvio, o proprietário deve estar atento também à outros sintomas:

– Andar em círculos
– Andar ansiosamente e sem rumo
– Sustos do nada
– Reflexos irregulares
– Deficiência visual

cachorro pressionando a cabeça na parede

Por favor, mantenha em mente todos esses sintomas e nunca tente diagnosticar seu cachorro sozinho, a não ser que você seja veterinário. Procure ajuda profissional.

Veja um vídeo de um filhote de Pug pressionando a cabeça e andando sem rumo:

Concluindo, não é o pressionar da cabeça que é perigoso, mas o que isso está indicando. O pressionar da cabeça é um sintoma de que algo está muito errado no seu cachorro.

Não banalize! Não espere acontecer pra procurar na internet. Se o seu cachorro pressionar a própria cabeça contra a parede, CORRA PRO VETERINÁRIO.

Compartilhe esse artigo e ajude a salvar milhares de vidas!

Referência: I Heart Pets

Fonte: Cachorro pressionando a cabeça na parede | Tudo Sobre Cachorros http://tudosobrecachorros.com.br/2015/02/cachorro-pressionando-cabeca-na-parede.html#ixzz3SzZJC3dR
Follow us: tudosobrecachorros on Facebook

Japão quer colocar um cinturão de painéis solares na Lua para gerar energia para toda a Terra

Japão quer colocar um cinturão de painéis solares na Lua para gerar energia para toda a Terra

O Japão busca alternativas para gerar energia após o incidente em Fukushima.

O país está adotando a energia solar como uma de suas principais formas de geração energética. Pensando nisso, uma ambiciosa empresa está pensando em gerar energia para todo o planeta colocando um cinturão de painéis solares em nosso satélite natural.

O que a Shimizu Corporation planeja é colocar, em linha reta, centenas de milhares de painéis solares que iriam transmitir a energia gerada para a Terra através de radiação de micro-ondas. O projeto, chamado de Luna Ring, pode sair do papel e virar realidade em 2035.

A empresa defende que o projeto forneceria uma “quase” inesgotável forma de geração de energia, além de não ser poluente e trazer prosperidade para a vida no planeta.

Os robôs teriam um papel importantíssimo na construção do cinturão, sendo operados por engenheiros aqui da Terra 24h por dia. Recursos lunares poderiam ser usados para produzir insumos, como a água, através de hidrogênio importado da Terra.

O objeto é misturar a água artificial com a terra da própria Lua para fabricar cimento, fibra de vidro, tijolos e outros materiais que serão usados na construção.

Ao total, seriam 11.000 km de painéis solares que dariam a volta no equador lunar. A largura do cinturão vai variar, mas pode chegar a 400 km.

Estações seriam construídas no Pacífico para captar essa radiação e convertê-la em energia elétrica com antenas de micro-ondas com mais de 20 km de diâmetro.

A ideia é fantástica e seria incrível se conseguisse sair do papel. Para isso, milhares de testes precisam ser feitos, além de um investimento incalculável, tão grande que o Japão certamente não poderia arcar sozinho. Vários países precisariam entrar em acordo e fornecer bilhões para que todos fossem beneficiados.

Confira o vídeo abaixo:

Fonte: Jornal da Ciência

 

Atirador dispara contra policial em Paris – Veja o vídeo! Imagens fortes!!

Atirador dispara contra policial em Paris – Veja o vídeo! Imagens fortes!!

Um vídeo registrado de um prédio próximo à sede da revista “Charlie Hebdo”, alvo de um atentado nesta quarta-feira (7) em Paris, mostra os autores do ataque fugindo do local após abrirem fogo contra a redação da revista, deixando pelo menos 12 mortos. Entre as vítimas estão policiais e os principais cartunistas da publicação.

As imagens mostram os atiradores disparando suas armas na rua antes de entrarem em um carro preto e fugirem. O número de envolvidos no ataque ainda é incerto. Eles ainda são procurados e são perigosos, segundo as autoridades.

Fontes judiciais ouvidas pela France Presse confirmaram a morte de 4 importantes cartunistas franceses no ataque: Wolinski, Charb, Cabu e Tignous. A agência Reuters, citando a polícia, diz que outras 10 pessoas ficaram feridas, cinco em estado crítico.

O presidente francês, François Hollande, classificou o caso como um “ataque terrorista”, e disse que a França está em estado de choque. Após o ataque, a França elevou para o nível máximo o nível do alerta terrorista em Paris.

O semanário francês “Charlie Hebdo”  já havia sido atacada em 2011, após ter publicado charges do profeta do islamismo, Maomé.

Em novembro daquele ano, uma bomba incendiária foi jogada no escritório da revista, no 11e arrondissement, em Paris. Ninguém assumiu responsabilidade pelo ataque, que aconteceu horas antes da edição do “Charlie Hebdo” chegar às bancas com uma tirinha na capa de Maomé e um balão de discurso que dizia “100 chicotadas se você não morrer de rir”.

Um dia depois do ataque, a revista reproduziu o desenho com outras caricaturas em um suplemento especial distribuído junto com um dos principais jornais do país. A “Charlie Hebdo” defendeu ‘a liberdade de tirar sarro’ no suplemento de quatro páginas que foi embrulhado em volta das cópias do jornal diário de esquerda ‘Liberatión’.

Fonte: G News

IMAGENS FORTES: Agência divulga fotos de Andressa Urach no hospital após a retirada do hidrogel

IMAGENS FORTES: Agência divulga fotos de Andressa Urach no hospital após a retirada do hidrogel

Uma agência internacional teve acesso a Andressa Urach, 27, no leito hospitalar e revelou nesta segunda-feira (5) as fortes imagens da modelo após a cirurgia que deixou cicatrizes em sua perna.

A vice-Miss Bumbum 2012 ficou cerca de um mês internada no hospital Nossa Senhora da Conceição, em Porto Alegre, após se submeter a uma cirurgia para a retirada do hidrogel —há cinco anos, a modelo aplicou cerca de 400 ml do produto nas coxas.

Ao apresentar as fotos, a agência Grosby alerta para um “perigoso exemplo do que pode acontecer a quem se submete as cirurgias cosméticas”.

Neste fim de semana, Andressa caminhou calmamente pelas ruas de Santa Catarina, onde parou inclusive para ler, trajando um vestido longo, que cobria as cicatrizes na perna.

Algumas das imagens abaixo pode chocar o internauta.

urach1 urach2 urach3 urach4 urach5

VEJA A CRONOLOGIA DO CASO

2009

Andressa aplicou cerca de 400 ml de hidrogel nas coxas, para deixá-las mais grossas. Anos depois, ela revelou que também já havia aplicado metacril (PMMA).

julho de 2014

O corpo de Andressa começou a rejeitar o hidrogel. Ela teve febre, dores muito fortes e foi submetida a uma lipoaspiração para retirar o produto, mas ainda ficaram resíduos.

28 de novembro de 2014

Ainda sentindo dores, ela se submeteu a uma nova cirurgia para tentar remover os restos que ficaram do hidrogel.

30 de novembro de 2014

Andressa chega na casa da mãe, em Porto Alegre, com muita dor e mal estar. Por volta das dez da noite, começa a ter vômitos e desmaios e é levada às pressas para o pronto-socorro do hospital Conceição, onde é internada.

1º de dezembro de 2014

No hospital, Andressa é submetida a nova cirurgia para retirar os resíduos do produto e encaminhada à UTI, onde ficou sedada recebendo antibióticos fortes para tentar combater a infecção.

3 de dezembro de 2014

Ainda na UTI, apresenta leve melhora e volta a respirar sem a ajuda de aparelhos.

11 de dezembro de 2014

Ainda na UTI, ela faz transfusões de sangue para repor o sangue perdido nas cirurgias.

12 a 23 de dezembro de 2014

Segue internada na UTI, fazendo fisioterapia e tratando a infecção.

24 de dezembro de 2014

Andressa recebe alta e vai para casa, passar o Natal com a família.

Fonte: Folha de SP

Governo aperta o cinto e sobe a barra no FIES

Sem alarde, no apagar de 2014, e por meio de duas portarias aparentemente inofensivas, o Governo Federal retirou a escada das empresas de ensino superior, detonando o que alguns investidores estimam pode ser uma correção de até 30% no preço das ações de empresas como Kroton, Estácio, Anima e Ser Educacional.

edu-arte

Nos últimos três anos, as ações dessas empresas de educação foram uma aula de como ganhar dinheiro na Bolsa, mesmo em meio a uma economia sitiada pelo baixo crescimento do PIB, intervenção estatal pesada e incerteza política. O setor viu suas matrículas crecer 15-20% ao ano, e o faturamento, cerca de 30%, levando algumas ações a até triplicar de preço.

A chave desse sucesso: o Fundo de Financiamento Estudantil (FIES), o programa do Ministério da Educação que financia a educação superior de estudantes em instituições não gratuitas.

As empresas (e os investidores que compraram suas ações) sempre mantiveram que a dependência do FIES não era tão grande — apesar de sempre usarem o programa como o pilar do case de investimento em suas ações. Alguns investidores alertavam que o programa, que só em 2015 custará 20 bilhões de reais ao País, poderia ser alvejado como parte de um esforço fiscal.

As empresas minimizavam essa preocupação.  Quem, perguntavam elas, teria coragem de tirar recursos de um setor tão intocável — ao menos retoricamente — quanto a educação?

Até que, como um presente de Natal de grego, veio a Portaria Normativa No. 21, de 26 de dezembro de 2014. Nela, o Ministério da Educação disse que, daqui por diante, não basta que o estudante concluinte do ensino médio se submeta ao Enem para ser elegível ao FIES. A partir de agora, ele precisa tirar uma nota de pelo menos 450 (o Enem vai de zero a 1000) e não pode tirar zero na redação. (Parece óbvio, mas esses padrões mínimos só foram adotados agora.)

Nas contas de um investidor, a mudança na regra vai excluir de 30% a 40% dos alunos da rede pública de ter acesso ao FIES, por terem nota abaixo de 450.

As mudanças valem para todos os alunos que concluíram o ensino médio a partir do ano letivo de 2010 — o grosso dos alunos. O Governo também deu uma colher de chá para as empresas, estabelecendo que a nova regra entrará em vigor apenas em abril deste ano, ou seja, depois que a maior parte das matrículas de 2015 já tiverem sido feitas.

O ministério também mexeu numa regra dando ao Governo mais tempo para repassar às empresas privadas os recursos do FIES — uma medida que deve pressionar o capital de giro das empresas.  O repasse hoje se dá a cada 30 dias (com atrasos frequentes), e agora será feito a cada 45 dias.

Entre o dia 30 de dezembro (quando a mudança regulatória ficou pública) e esta sexta-feira, as ações do setor já caíram entre 10% e 15%.  A Kroton, onde 54% dos alunos são beneficiados pelo FIES, já perdeu 12% de seu valor (ver quadro acima).

Mas como pode uma pequena mudança regulatória (e uma barra um pouco mais alta para o acesso ao financiamento) afetar tanto o potencial de crescimento das empresas?

Alguns investidores que minimizam o impacto das novas regras apontam para uma tabela do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP) que mostra que menos de 10% das escolas públicas têm notas abaixo de 450.

No entanto, este número é ilusório, “primeiro, porque olhar para as escolas não quer dizer nada,” diz um investidor que acompanha o setor de perto. “Você tem que olhar para os alunos individualmente, porque eles é que são elegíveis ou não. Segundo, porque o INEP fala em nota ‘média’, e a média distorce a realidade porque, como o desvio padrão é muito baixo, para cada três alunos com nota de 430, um aluno com nota de 650 já traz a média para 450). O que importa aqui é a mediana, que exclui os alunos muito fracos e os muito fortes.”

Há ainda, o risco de que outras medidas ainda sejam anunciadas. Em conversas com investidores, o Ministério da Educação tem sinalizado insatisfação com repasses de preços bem acima da inflação feitos pelas empresas.  Além disso, perguntado sobre financiamento educacional antes de sua posse, o novo ministro da Educação, Cid Gomes, disse: “Em qualquer área precisaria de mais recursos, mas tem que ter o pé no chão e fazer com o que tem.”

O debate sobre os ajustes no FIES é uma discussão complexa e eivada de nuances, que deveria passar longe do Fla-Flu partidário. Longe de ficar circunscrito aos imperativos do ajuste fiscal, trata-se de um debate sobre políticas públicas e seus cinquenta tons de eficiência.

Há duas visões sobre o FIES. A primeira, que as empresas defendem, é de que o programa é barato quando se compara o gasto governamental por aluno em universidades públicas com o gasto por aluno nas empresas privadas.  Por essa comparação, o FIES custa para o governo até nove vezes menos por aluno. Além disso, como trabalhadores com ensino superior tendem a ganhar mais, os alunos apoiados pelo FIES também pagarão mais impostos no futuro, diluindo o custo para o Estado de forma indireta.

A outra corrente diz que o FIES é caro. Se o Governo cumprir seu objetivo de crescer o número de alunos no programa para 3 milhões, isto representaria um aumento de dívida bruta de 30 bilhões de reais por ano até os alunos começaram a amortizar a dívida, que tem um ano e meio de carência e cujo pagamento é feito em cerca de três vezes o tempo do curso. Além disso, o juro do empréstimo feito pelo governo é de apenas 3,4%, enquanto a Selic está em quase 12%. (Ou seja, o governo perde dinheiro na operação). A política de crédito é inexistente: o FIES está disponível mesmo para alunos negativados no Serasa. (Nos Estados Unidos a inadimplência de empréstimos estudantis está em cerca de 15%.)

O País progrediu muito em promover o acesso ao ensino superior, mas, como qualquer programa social, o FIES tem custos que têm que estar transparentes para a sociedade. Um padrão acadêmico mínimo (como o imposto a partir de agora) é saudável e necessário para estimular os estudantes — e, dado que os recursos são finitos, premiar aqueles que realmente fazem por merecer.

Por Geraldo Samor

 

Fonte: Veja

Governo limita ocupação de salas de cinemas a até 35% pelo mesmo filme

A voracidade dos blockbusters ganhou um limite. A Ancine (Agência Nacional do Cinema), após consultar representantes do setor cinematográfico, bateu o martelo nesta quarta (17) e definiu um teto à ocupação das salas por um mesmo filme.

A partir de 2015, um único título não poderá ocupar mais do que duas em complexos de até seis salas de cinema. Nos casos dos espaços multiplex com mais de seis salas, o teto não poderá ultrapassar 35%.

A polêmica ganhou força em novembro, após reportagem da Folha apontar a ocupação recorde de salas por um único filme no país: “Jogos Vorazes: A Esperança–Parte 1″ estreou em 1.300 salas das 2.800 do país (46% do total).

 

Julianne Moore em cena de 'Jogos Vorazes: A Esperança ---parte 1'

Julianne Moore em cena de ‘Jogos Vorazes: A Esperança —parte 1′

Você não vai acreditar no que o Keanu Reeves é capaz! Assistam!!

Você não vai acreditar no que o Keanu Reeves é capaz! Assistam!!

Veja como o ator se comporta no seu dia a dia. Um perfeito cavalheiro. Assistam!

E nesse flagra ele confirma mais ainda sua fama de bom moço. Assistam!

Você nunca vai entender o que se passa na vida das pessoas até ver este vídeo; Emocionante

Você nunca vai entender o que se passa na vida das pessoas até ver este vídeo; Emocionante

Vivemos em um mundo agitado, pessoas vivem com pressa e mal olha para o próximo e se coloca no lugar dele. As vezes julgamos pessoas sem saber por qual situação ela esta passando, julgamos muito pela aparencia e não nos importamos com a empatia. Alias você sabe o que é empatia? Pois é muitas pessoas não sabem. Todos deveriam olhar o próximo com empatia que é nada mais do que se colocar no lugar da outra pessoa, sentir o que o outro sente. Se você pudesse saber o que o outro esta passando, seja dificuldades ou felicidades você mudaria sua forma de trata-la? Não jugaria tanto as pessoas não é mesmo? Esse vídeo emocionante nos mostra o que não vemos e o que acontece o tempo todo ao nosso redor.

Muito emocionante, uma bela reflexão sobre o próximo, por isso não devemos julgar e sim agir com empatia.

Primeiro trailer Star Wars – O Despertar da Força que chega aos cinemas em 2015


Visitantes OnLine: